sábado, 30 de janeiro de 2010

VaVerde


Não sou madura
Sou verde
Mirim, infantil, poço de candura
Não amadureço
Não existe tempo de espera
Se estiver quente eu queimo
Se estiver frio me gela
Eu não cresço
Onde há mel me melo
Menininha sem gênero
Sem responsabilidade
Sem endereço
Sem grandeza de propósito
Sem sentido... Sentindo.

5 comentários:

  1. Adorei, adorei, adorei

    Lud, maravilha de blog continue escrevendo

    Beijos!!
    do Ge.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, muito bom seu poema! Fiquei pasma!
    Parabéns, escreve muito bem!
    gde abs

    ResponderExcluir
  4. Nossa.lindo esse texto, voce tbm escreve?

    ResponderExcluir